Kit sensor de estacionamento: 6 respostas que todo o motorista procura sobre a tecnologia

Kit sensor de estacionamento: 6 respostas que todo o motorista procura sobre a tecnologia

A hora da famosa baliza é um momento de tensão para diversos motoristas. Tanto que alguns encontram a vaga perfeita e dois segundos depois desistem dela por temerem não conseguir estacionar. E isso é mais comum do que você imagina. No entanto, com uma forcinha da tecnologia, esse problema vem sendo superado. 

As seguradoras deram as estatísticas: muitos dos pequenos amassados que surgiam nos veículos eram causados dentro da própria garagem dos motoristas. Em alguns casos mais sérios, o condutor não percebia a presença de uma criança ou animalzinho de estimação na traseira de seus carro.

Dessa maneira, o kit sensor de estacionamento deixou de ser um luxo, para tornar-se um item relativamente popular e bastante importante para uma condução segura.

Compilamos neste artigo algumas das principais dúvidas sobre essa inovação e desmistificamos tudo o que você precisa saber. Confira!

Apenas modelos de luxo contam com kit sensor de estacionamento?

De fato, o kit sensor de estacionamento é item de série comum entre os veículos mais robustos. Alguns modelos da Hyundai, por exemplo, mesmo em suas versões de entrada já contam com a tecnologia. É o caso do Hyundai New Azera, do Hyundai New Tucson, do Hyundai IX35 e da Hyundai Santa Fé.

No entanto, já é possível instalar o kit posteriormente, em qualquer tipo de carro, sem nenhum entrave.

Quais são os tipos de kit sensor de estacionamento que existem no mercado brasileiro?

Basicamente, são duas as tecnologias possíveis para um sensor de estacionamento: por ultrassonografia ou por eletromagnética.

KIT SENSOR DE ESTACIONAMENTO ULTRASSONOGRÁFICO

Pode ser instalado em qualquer tipo de parachoque, sem a intervenção de ruídos que possam ocasionar falhas.

Funciona através de uma frequência sonora que o ouvido humano não consegue captar. Ela reflete no objeto que encontra-se próximo aos sensores e retorna, emitindo um bipe que vai aumentando a intensidade até ocorrer a máxima aproximação ideal.

KIT SENSOR DE ESTACIONAMENTO ELETROMAGNÉTICO

Deve ser embutido na lataria, sendo fortemente desaconselhado para veículos que tenham a estrutura do para-choque em metal. Isso ocorre porque essa interação pode provocar interferências.

Os sinais eletromagnéticos são lançados e voltam revelando ao motorista o quão próximo ele está de um obstáculo.

Como o sensor de estacionamento é acionado?

Na maioria dos veículos, basta apenas o engate da marcha ré. 

Para aqueles que contam com sensores na dianteira também, a transmissão para a primeira marcha é responsável pela ativação. Uma dica interessante aqui, é apenas acioná-lo quando houver a necessidade de estacionar (sim, é possível, consulte o manual de instruções para descobrir como). 

Onde ficam os sensores de estacionamento?

Em pontos estratégicos, que irão garantir a eficiência do aparelho para os ângulos necessários.

Desta forma, se você não tem um sensor de estacionamento em seu veículo mas já decidiu adicioná-lo, procure um profissional para introduzi-lo na lataria e fazer todas as ligações elétricas importantes para o pleno funcionamento.

Todos os kits contam com câmera de ré?

Não!

Alguns trazem um display simples, apenas com a contagem ou sinalização da aproximação das barreiras.

Entretanto, existem conjuntos que levam consigo a câmera. É uma questão de verificar o que fica melhor para a sua necessidade.

Como regular sensor de estacionamento?

Não acredite nos tutoriais de internet!

Nunca tente regular o kit sensor de estacionamento sozinho. Evite o transtorno de uma provável pane elétrica, por que certamente custará caro.

Da mesma maneira, se você estiver desconfiado que o dispositivo está com algum defeito, investigue os acontecimentos junto ao seu mecânico de confiança.

Gostou do conteúdo? Compartilhe sua opinião conosco aqui nos comentários!

Deixe um comentário!

comentários